sexta-feira, 8 de junho de 2007

Inquietação

A contas com o bem que tu me fazes
A contas com o mal por que passei
Com tantas guerras que travei
Já não sei fazer as pazes

São flores aos milhões entre ruínas
Meu peito feito campo de batalha
Cada alvorada que me ensinas
Oiro em pó que o vento espalha

Cá dentro inquietação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Ensinas-me fazer tantas perguntas
Na volta das respostas que eu trazia
Quantas promessas eu faria
Se as cumprisse todas juntas

Não largues esta mão no torvelinho
Pois falta sempre pouco para chegar
Eu não meti o barco ao mar
Pra ficar pelo caminho

Cá dentro inqueitação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Cá dentro inqueitação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Mas sei
É que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer
Qualquer coisa que eu devia resolver
Porquê, não sei
Mas sei
Que essa coisa é que é linda

(José Mário Branco)

10 comentários:

aflores disse...

Bem me parecia que estava a conhecer esta "Inquietação". Resultado...fui buscar o velhinho LP "Ser solid(t)ário".

Bom fim-de-semana.

ARTEMINORCA disse...

Sempre gostei muito desta canção de mário branco. tive o privilégio de o ouvir ao vivo há uns vinte anos atrás... ai estou tão vellha!!!
Beijinhos, Lu

TONY, Duque do Mucifal disse...

apesar de ser um reaccionário, gostei deste poema do Zé Mário Branco. aproveito a ocasião para agradecer as tuas visitas ao meu blog. Até um dia destes!

Jade disse...

Não conheço bem mas gostei muito das palavras.
Beijinhos, desaparecida!

Nuno ar disse...

É um grande maestro e instrumentista português. Faz com as palavras o que também consegue fazer com a música :*

legivel disse...

Parabéns por "trazeres" até aqui a letra desta bela canção do Zé Mário. Um músico que dispensa apresentações.

Z disse...

Olha o meu homónimo! Devo confessar que esta música não conheço! Gosto muito do Zé Mário Branco, mas, como sou muito novinho e neste aspecto fui muito influenciado pelos meus pais, tenho de desculpar-me por só conhecer a discografia que eles têem... e acho que não está lá esta música!
Aos tempos que aqui não vinha (a blogoesfera anda calminha e lentinha, não?)... Beijinhos portanto!

LoiS disse...

Bjs, saudades!
LoiS

APC disse...

Eu ia jurar que tinha comentado este teu post, na altura em que o li - e adorei, claro. Tenho presente em mim talvez a falsa memória de ter andado de volta do "É só inquietação, inquietação / Porquê, não sei / Porquê, não sei / Porquê, não sei ainda", mas deve ser apenas uma "miragem da memória", efeitos do adiantado da hora a que geralmente visito os blogs, enfim...

Hoje, deixo-te um abraço! :-)))

Fandango disse...

Já que por aqui se fala dessa bela música de ZMB, sugiro a audição da versão de JP Simões da mesma, e já agora, do albúm "1970" do mesmo.