quinta-feira, 19 de julho de 2007

Progresso ou fantasia?

Todo o progresso é sempre um distanciamento de alguma coisa.

Maria Montessori – médica e pedagoga italiana (1870-1952)



Como em todas as frases "feitas", o contexto é o que lhe quisermos dar. Distanciei-me quando comecei a tropeçar nas palavras. Faço agora pequenas aproximações. Talvez volte a dançar*.



*Era uma vez uma centopeia que com as suas pernas era muito boa a dançar. Quando dançava, os animais reuniam-se no bosque para a admirar e todos estavam muito impressionados pela sua habilidade. Só um animal não podia suportar que a centopeia dançasse, um sapo...
(...)
Escreveu uma carta à centopeia: “Ó incomparável centopeia! Sou um devoto admirador da tua requintada dança. Gostaria de saber como te moves a dançar. Levantas primeiro a perna esquerda número 22 e depois a direita número 59? Ou começas por levantar a tua perna direita número 26 antes de levantares a tua perna esquerda número 44? Aguardo ansiosamente uma resposta tua. Saudações cordiais, o sapo.”
(...)
Quando a centopeia recebeu a esta carta, reflectiu pela primeira vez na sua vida no que fazia quando dançava. Que perna movia em primeiro lugar? E que perna vinha a seguir?
A centopeia não voltou a dançar. Foi o fim.
É justamente isso que pode suceder quando a fantasia é sufocada pela razão.

Jostein Gaarder em “ O Mundo de Sofia”.



5 comentários:

Jade disse...

Finalmente dás um ar da tua graça... Tinha saudades e estava com medo que desaparecesses.
Espero que o teu post e a fábula da centopeia não seja sintomático de nada... Acho que a fantasia e a razão podem e devem conviver de mãos dadas. O que seria de nós sem o sonho, a fantasia, a ilusão?

Beijos, com saudades!

Bolinha disse...

É como eu costumo dizer , é melhor ir vivendo com calma se pensamos muito por vezes dificulta , bêjos

aflores disse...

Por aqui passei e me deparei com esta "divagação" . Concordo com a Jade..."a fantasia e a razão podem e devem conviver de mãos dadas".

Xi coração ;)

APC disse...

É exactamente isso! Há sentimentos cuja essência passa por não se saberem explicar; e por isso gestos também. Há coisas que a razão não compreende, e que se um dia puderem ser pensadas antes de serem sentidas, talvez estejamos feitos. O amor é uma delas! :-)

CaCo disse...

Fantasia... Razão... às vezes confunde-se tudo.

Continuo sem tempo, mas vou tentar visitar-vos.
Bj.